quinta-feira, março 29, 2007

Bonjour Tristesse, Martin Eder



na rasgadura do peito exposto
você foi mais um pouco...



9 comentários:

caeiro disse...

de todas as minhas cicatrizes, involuntárias ou não, as mais doloridas são aquelas que estão dentro, e que por isso não se mostram. e nem dá pra supor o aparelho cortante.

sandro ornellas disse...

Oi, Ana. É mesmo. Parece que o Al Berto têm muito a ver com seu blog. Escrita, exasperação, corpos desejantes e intensidades ;o)

Anônimo disse...

ué vc tirou a barra aí do lado? Parece que seu blog ta maior, majestoso...bjo lu

gdec disse...

A Ana diz muito em poucas palavras. Precisamos viver, não é?

viajante disse...

oi ana, retribuindo o sonho de expressar-se.

beijos e obrigado.

F. Reoli disse...

O verdadeiro "conhecer por dentro"....
Te beijo!

Anônimo disse...

Ih, to vendo que aqui nessa casa vc está tendo uma preguiça de escrever...olhe lá hein? Bjo LU

Mão Branca disse...

Uau. bom gosto e ironia. meus ingredientes preferidos.

Deanne disse...

Belas imagens! Parabéns!

 
Free counter and web stats