domingo, junho 17, 2007

La moindre des choses, Nicolas Philibert



todas as minhas beiras viriam, sempre, daqueles que não vêm a ser.




5 comentários:

viajante disse...

só, apenas.

mas suas beiras inexistem como os outros e suas beiras.

como os outros inexistem e vc inexiste.

bjos...

caeiro disse...

isto não foi fácil...foto linda, texto lindo...tua capacidade de casar as fotos e os textos é impressionante.

Ácido Poético disse...

Simples e intenso.

Beijo
Brunø

SANDRO ORNELLAS disse...

O que fazer, então? Transbordar ou permanecer contida/o nas margens? Levantar e só ser flagrado deslizando para fora do foco - como na foto?
Beijo
Sandro

gdec disse...

Sei que,para além das beiras está tudo.

beijos
geraldes de carvalho

 
Free counter and web stats