domingo, outubro 05, 2008

das unhas roídas



o último verso
é sempre
o primeiro.

o amor também.


23 comentários:

Maria disse...

E roídas até o sabugo rs...

Oi AnA!!!
Estava mudando de casa e as coisas enrolaram um pouco..agora tá tudo legal..meus e-mails são o mangelsouza@terra.com.br e mangelsouza@gmail.com

beijossss

douglas D. disse...

o amor não
só nós,
ficamos.

Anônimo disse...

é ana. sei lá...

Prill disse...

passionalidades. deve ser por isso que venho aqui tão raramente venho, morro (de medo) e saio correndo. tenho estado mais corajosa, não te perco mais, por favor.
abraços e afetos

Fabrício Brandão disse...

Esse mesmo amor tem mania de se travestir na tentativa de inventar um rosto para cada encontro.

Beijos!

viajante disse...

o último verbo
é sempre
o mesmo.

seus tempos também.

L. Rafael Nolli disse...

São. E os melhores. O poema dá uma deliciosa idéia da fantasia em torno de buscarmos numa coisa nova, repleta de novos significados, nas coisas passadas - como se se complementassem ou estivessem interligadas numa linha que se completa. E talvez esteja. Abraços!

Suspenso disse...

Ui, as unhas roídas ardem e doem...

Álvaro Andrade disse...

os versos sempre serão mesmo os primeiros.
poesia não caleja, nem amor.

Álvaro Andrade disse...

os versos sempre serão mesmo os primeiros.
poesia não caleja, nem amor.

. fina flor . disse...

menina, pior que é verdade!!!

beijos,

MM.

>>> cheguei aqui por amigos em comum

gdec disse...

Escreves tão pouco, agora, que tenho medo que o teu último verso seja o derradeiro.
E eu não queria
beijos saudosos
Geraldes de Carvalho
Ps : Há coisas no meu blog

anjobaldio disse...

Muito bom.
Lá no anjo baldio tem um novo vídeo-poema.
Grande abraço.

gdec disse...

Eu estou aqui minha querida, sempre atento ao que V. (não) escreve e desejando saber a sua opinião sobre o que eu escrevo .
seu
Geraldes de Carvalho

Miguel Barroso disse...

Gosto muito de poemas minimais.


Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

romério rômulo disse...

ana:
já te respondi no meu blog.
romério

gdec disse...

Que é feito de ti ????
beijo grande
Geraldes de Carvalho

romério rômulo disse...

ana:
como você desaparece?
romério

adelaide amorim disse...

Delicioso esse poema, Ana!
Saudade de você.
Beijo

Helio Lambais disse...

o amor sempre será o primeiro e último, caso contrário é somente paixão....

Bisous

a estrangeira disse...

O primeiro amor sempre marca.bjoss

Eliana Mara Chiossi disse...

Adoro encontrar o poder da síntese na poesia.
Gostei muito.

Beijos

Ana disse...

Olá! Saiba que eu curto muito o seu blog! Por isso indiquei ele a uma homenagem dos melhores Blogueiros! Passe no meu blog e pegue o seu selo! Beijão! Feliz Natal!

 
Free counter and web stats