sexta-feira, maio 16, 2008

la menteuse





em dias assim, inchume-do-peito, até os barulhos dos sacos plásticos amarrotados pelo vento me fazem doer os ossos dos seios. e eu posso ouvir uma faísca saltando da brasa do teu cigarro, desse fumo bêbado que a tua boca suga, a espaços-sem-alma de distâncias de mim.

me faz estalar o coração.
e dói tanto que eu não sinto mais.


10 comentários:

Pipa Heliodora disse...

Oba, a Casa da Nina ressuscitou!!!

douglas D. disse...

não ouso dizer nada. nem uma palavra sequer...
bjo!

Anônimo disse...

caeiro
te ler é sempre algo incrível...

gdec disse...

Teu deus! Doem-te os ossos dos seios ! Que invenção tens, minha querida .
Que bom, para nós, que tenhas regressado a casa.

teu
Geraldes de Carvalho (agradecido pela visita ao meu blog. E dizes sempre coisas lindas . E claro que podes usar emprestados -já sabes a renda é três mil beijos-
os meus textos) gdec

ediney disse...

adorei essas imagens "fumo bêbado que a tua boca suga, a espaços-sem-alma de distâncias de mim"

Maria disse...

gosto, gosto sempre do que diz aqui.

Anônimo disse...

Vixi essa fez sucesso, tbem fala pelos poros da pele onde os sentimentos britam, ops, era pra sair "brotam", ato-falho, sentimentos como "britadeiras" essa é boa! bjim LU

gdec disse...

Sim, A casa da Nina parecia ter revivido mas foi sol de pouca dura. Hoje ela está tão triste como eu. Por que nos abandonaste ?
teu
geraldes de carvalho

CACHORRO VADIO MORTO EM NOITE CHUVOSA disse...

Adoro as pinturas da Beatriz.

Notícias incríveis disse...

xP, Adoro as pinturas da Beatriz.²

Notícias incríveis

 
Free counter and web stats